Carregando

Blog do Dr. Thiago Iria

Cirurgias Plásticas Combinadas, qual o limite?

“Dr. Quero fazer lipo + mama + abdômen e a cirurgia dos braços. É possível?”

multi_procedimentos

Este tipo de pergunta é comum em uma consulta, mas existe um limite? Quantos procedimentos podem ser realizados em uma única cirurgia de forma segura? Esta pergunta aparentemente simples, na verdade é bem complicada. Quando avaliamos o risco cirúrgico, levamos em consideração diversas variáveis, como: risco do pacientes, tempo operatório, sangramento estimado, áreas operadas, logística de pós-operatório.

Quanto ao risco do paciente, avaliamos idade, histórico de doenças familiares, doenças prévias, exames. Um paciente jovem com certeza suportará maior tempo de cirurgia e sangramento. Também terá menos patologias como hipertensão, problemas da tireóide, risco cardiológico.

O tempo operatório é um fator que poderá interferir ou não na quantidade de sangramento, mas nem sempre isso é verdade. Às vezes o tempo operatório é maior para evitar sangramento, como por exemplo uma lipoaspiração feita o tempo todo com cânula fina. Ela tira a gordura mais lentamente, mas machuca menos os tecidos, com sangramento consequentemente menor. Porém, o risco de trombose é maior em cirurgias mais longas.

O sangramento estimado também depende do tipo de cirurgia. Uma cirurgia de lifting facial, às vezes pode demorar 6 horas, mas sangra muito pouco. Uma lipoaspiração ou abdominoplastia pode sangrar mais em metade do tempo.

As áreas a serem operadas são fundamentais para a avaliação da associação das cirurgias. Por exemplo, como associar uma cirurgia de prótese de mama e prótese de glúteo, quando ao operar uma delas o paciente estará deitado sobre a outra recém operada? E como faria para dormir, qual seria a posição?

A logística pós-operatória é igualmente importante. Uma paciente que tiver um mês ou mais para recuperar, tendo auxilio de mais pessoas para tomar banho, se vestir, etc com certeza poderá realizar mais cirurgias que outras que não terão o mesmo tempo e estrutura no pós-operatório.

De nada adianta fazer muitas cirurgias para “aproveitar a anestesia e a mesma recuperação”, caso tenha complicações e o resultado seja comprometido por abertura de pontos, infecção ou cicatrizes ruins.

Sendo assim, as cirurgias mais fáceis de serem associadas, são aquelas em que se enquadram na mesma área cirúrgica ou nas quais o pós-operatório pode ser realizado na mesma posição, como por exemplo: lipoaspiração e abdominoplastia, mamoplastia e abdominoplastia, lifting facial e cirurgia das pálpebras ou nariz, prótese de mama de lipoaspiração.

Mais cirurgias podem ser associadas, quando todas as premissas forem respeitadas. Vale sempre lembrar que a cirurgia plástica não é uma cirurgia de urgência e por isso, deve ser bem programada, para ter o melhor resultado possível e com a máxima segurança.

Muitas vezes é melhor dividir as cirurgias requeridas em dois tempos cirúrgicos.

Postado por em - Sem Comentários