Carregando

Blog do Dr. Thiago Iria

TATUAGEM 3D AJUDA A RECONSTRUIR MAMAS DE MULHERES QUE TIVERAM CÂNCER

Mulheres cujas mamas foram reconstruídas após o câncer têm agora uma nova aliada no resgate da autoestima: a tatuagem tridimensional da aréola e do mamilo que, de tão real, chega a enganar os mais desavisados.

Crédito da foto: Reprodução/Plastic and Reconstructive Surgery

Crédito da foto: Reprodução/Plastic and Reconstructive Surgery

A técnica consiste em fazer um retrato da aréola, com uma mistura de cores para que o desenho fique de acordo com o tom da pele. Um jogo de luz e sombra cria a ilusão da existência dos mamilos e dos tubérculos de Montgomery (pequenos carocinhos ao redor da aréola).

O uso de tatuagens não é exatamente novo para completar a reconstrução. Antes os próprios cirurgiões faziam o trabalho, usando uma cor mais clara para a auréola e outra mais escura para o mamilo. No entanto, com a evolução da tatuagem, foram desenvolvidas técnicas capazes de recriar com incrível realismo, inclusive com a projeção do mamilo e as glândulas de Montgomery da auréola.

Refazer a aréola e o mamilo é a última etapa na longa trajetória das mulheres que enfrentam o câncer de mama. Após a reconstrução das mamas, normalmente feita a partir de músculos e gordura do abdome, os novos peitos ficam sem aréola e mamilo.

Espera-se em média um ano até o fim do tratamento contra o câncer, que pode envolver químio, radioterapia e eventual cirurgia plástica para corrigir a simetria das mamas enxertadas.

Ao fim desse processo, a mulher pode optar por reconstruir o mamilo (com a própria pele do peito) e colori-lo juntamente com a aréola ou só tatuá-lo em 3D. “Há mulheres que preferem não reconstruir o mamilo. As mais jovens acham que ele marca as roupas, as mais idosas querem evitar mais cirurgia.”

Outro fato é que a técnica pode ser usada para outras áreas do corpo também, como nos lábios e sobrancelhas depois de uma reconstrução facial.

 

Postado por em - Sem Comentários